Bem vindo Filho de Fé!

 
Saravá Filho de Pemba
É com carinho que aqui neste cantinho estaremos presentes no casuá de cada um.
Que Pai Oxalá abençoe a todos!
 
 
Pai Zé de Angola
Anúncios

Você sabe o que é Umbanda?

A Umbanda
É uma religião brasileira do século XX e acima de tudo uma Ciência.
É Religião por foi criada pela Coroa Divina, pelo Pai Supremo (Deus).
Porque Ciência?
Porque ela e baseada na absorção das energias e vibrações, estas provindas de um espaço infinito cósmico, que atuam sobre determinadas fontes do Universo, nos reinos do Planeta Terra.

Podemos citar como exemplo as forças e as vibração que vem do alto em forma de energia.
As que atuam sobre as águas do mar, denominamos Iemanjá
As que atuam no Reino das Matas , Oxossi
As Rochas, Pedreiras denominamos Xangô e outros de mesma importância e magnitude.

Não esqueçamos de nosso Pai Oxalá emanado pelas força do Sagrado, de Jesus , O Governador da Terra e pelo Criador Olorum (Em outra oportunidade explicarei sobre este Orixá e como se apresenta nas demais denominações nas forças Oxaguian e Oxalufan)

Advindo a partir dos cultos africanos, no Brasil, a UMBANDA foi sendo modificada pela influência do Índio em sua essência, o sincretismo católico no período da escravidão e também na evolução dos tempos com as influências Espírita e filosóficas.

Existem várias vertentes da Umbanda e escolas Iniciáticas cujo objetivo é único, o de difundir e praticar a caridade ao Seres encarnados e desencarnados.

“Umbanda que é Umbanda é aquela prestada com muito amor, resignação e sem levar em conta o benefício próprio daqueles que a praticam, mas sim ao próximo, ao enfermo que está em conflito em busca de um alento, um amparo para seus sofrimentos.”
“Mas não devemos confundir a Umbanda com a solução para os problemas mesquinhos, arrumar a vida material de uns, a vida amorosa de outros, mas sim aquilo que é do merecimento de cada um.
Para os praticantes desta religião o que vale não é ter nada em troca, mas sim a evolução espiritual, a paz interior e acima de tudo a fé!”

“Salve a todos os filhos de fé que amam a Umbanda, que tem a sinceridade no coração e acima de tudo, a humildade.”

Luz na mente, Paz no coração e Energias Positivas

M.J

Mistificação o que é?

Significado de Mistificação

s.f. Ação de mistificar.
Coisa vã, enganadora

Ato de Mistificar:

Termo usado no Espiritismo na Umbanda. Seu significado tem a ver com abusar da credulidade, enganar, iludir, ludibriar. Na conversação mediúnica, corriqueiramente, na mesa espírita ou no terreiro, considera-se mistificador o médium que finge estar dando passagem a um espírito, fala e passa mensagens que são próprias.

Quem ama não agride

A dor do desprezo.

Alguma vez, você já ficou sem o chão?
Sim, exatamente isso, sem o chão? Você não leu errado.
Alguma vez, você ficou assim, meio que parecendo um bobo, perdido como uma barata tonta?
Tenho certeza que sim.
Às vezes acontecem algumas coisas ruins em nossas vidas, que literalmente nos tiram o chão. O anuncio da demissão, a morte prematura de alguém muito querido, o desencontro, o diz que me disse envolvendo o nosso nome, uma acusação leviana entre muitas outras situações tão corriqueiras nos nossos dias. Nestes momentos, a decepção com os fatos, sempre nos faz morrer um pouco. Esse “de repente”, esse chega pra lá que levamos, que nos pega de calças curtas, é extremamente nocivo a nossa saúde, são momento que podem nos lançar a instantes depressivos ou ainda a uma depressão profunda.
Entre muitas situações ruins, encontramos algo simplesmente devastador.
O desprezo.
Ai! Como dói o desprezo.
Ser desprezado é uma das mais terríveis formas de sofrimento. Em qual quer situação vivemos a expectativa de bons resultados e o desprezo frustra esta expectativa. E quando o desprezo parte de alguém que queremos bem, de alguém que amamos é muito pior. Neste caso realmente perdemos o chão. Sentimos apenas o desamor da pessoa amada.
O desprezo nunca anda só, ele é constantemente acompanhado da agressão verbal.
O poder da palavra desferida é muito mais forte que à bala de um revolver. Seu estrago pode ser avassalador, seus danos podem ser irreparáveis. E algumas coisas não voltam atrás.
Na maioria das vezes gostamos de ser as vitimas, queremos ser a pedra e não a vidraça.
Nunca nos colocamos no lugar dos outros e atingimos de imediato o que julgamos ser os “defeitos” das pessoas. Agredimos gratuitamente sem pensarmos duas vezes. Nunca, absolutamente nunca comparamos as qualidades com os defeitos.
Dizemos coisas que machucam os outros. O que importa é o nosso orgulho que foi ferido e a nossa total intolerância e incompreensão dos fatos.
Dentro de um relacionamento, é de fundamental importância que as pessoas usem o bom senso e o bom humor para o equilíbrio da harmonia no lar. Do que vale um casal ser perfeito na rua e ser completamente o inverso dentro de casa?
A cumplicidade deve ser o primeiro passo em um relacionamento.
Quando surge um problema, é comum sempre haver, ou melhor, sempre eleger um culpado. E isto abre espaço para que outro também possa errar, mesmo que de propósito, achando-se no direito de retribuir com as mesmas moedas. Neste caso fica clara a falta de cumplicidade.
Ninguém consegue amar sozinho, ninguém é alto suficiente, ninguém é melhor que ninguém, seja no quesito que for.
Ouvir da pessoa que amamos, palavras duras e grosseiras é algo que nos faz pensar sobre o nosso próprio amor. Esta atitude põe em cheque se estamos agindo certo ou não.
Devemos analisar os fatos e ponderar as atitudes, devemos definitivamente dizer não a submissão. Tolerância tem limites!

Quem ama perdoa!
Quem ama não agride!

Texto de Reginaldo Corda

Aos Médiuns Umbandistas

Estudem para melhor praticar a caridade. Entre um instrumento mediunico que não se instrui e outro que está sempre ampliando os seus conhecimentos, ambos com a mesma cota de amor no coração,  para servir ao próximo,  qual terá mais valia para os espíritos desencarnados que nos assistem, neste momento de expansão da consciência da comunidade umbandista?
Consciência é para ser assumida e não escondida.  Desse modo aprenderão muito mais conscientes, com o guia “atuando” no pisquismo, do que com a insensata busca da inconsciência por métodos de iniciação artificiais que paralisam a evolução do médium.  Mediunidade mais “forte” não é a que “apaga” a mente do medianeiro e sim a que acende a chama do pensamento,  amparado pelo aprendizado constante entre nós,  do além,  e vocês cujos pés estão fincados na terra.
Portanto chefou a hora de evoluirmos juntos. Os ponteiros cósmicos do relógio da justiça divina indicam que o tempo em que o fuia espiritual fazia tudo acabou.
Deixo aqui um afago amoroso deste “velho”  pastor, paravtodos os filhos do planeta azul

Caboclo Xangô das Sete Montanhas

Trecho do livro Umbanda Pé no Chão

Congo de ouro – Escola Casa de Música Diadema

Apresentação de alunos no toque Congo de Ouro simulando o Ilê
Particularmente é o toque que mais aprecio nos trabalhos realizados na Umbanda

Utilizado em pontos cantados  podemos abaixo demonstrar o toque

A base do do toque  Tum Ta  Ta   Tum   TA-TA

Marcação: Tum Ta  Ta   Tum Tum    TA-TA

Ataque. Tum Tum TA TA TUMTUM TA TATA TUM TUM

Missão do Ogan (Ogã)

São os responsáveis nos trabalhos de Umbanda por entoar dos Atabaques. Atuam de  acordo à orientação e comando da Entidade dirigente e ainda a hierarquia existente entre eles próprios. (RUM , RUMPI e LÊ)

Importância:

O trabalho de todos no ritual depende de sua atuação e para isso eles também passam por um longo aprendizado antes de assumirem a responsabilidade de lidar com esse vital elemento ritualístico. Muito se esclarece qual o papel do Ogã quando falamos sobre a função dos Atabaques no ritual.

Concentração e Zelo:

O Ogã não deve permitir o surgimento em seu coração de qualquer sentimento de arrogância ou prepotência. Eles também trabalham, completamente entregues, com a finalidade comum de possibilitar ou facilitar toda manifestação mágica e mediúnica.

Sendo membros da corrente, os Ogãs também tem como objetivo final a plena realização de sua espiritualidade e não devem se perder no caminho em busca de glórias passageiras ou protagonismos incoerentes. Ninguém pode querer brilhar de forma destacada na nossa Umbanda.

Missão, Humildade:

Os Ogãs tem como responsabilidade, lidar com esses desafios de forma mais viva uma vez que os Atabaques, por mais que sua função seja vital e imprescindível, não devem assumir nenhum destaque no ritual. a finalidade deles também é de medianeiros, possibilitando a manifestação, em nosso plano, de condições muito maiores que nossa compreensão limitada pode, por vezes, abarcar.

O Ogã deve manter sua dignidade, entendimento da missão que possue em todos os rituais.

Sua luz deve sempre viabilizar os trabalhos zelando para que não haja desarmonia em sua atuação, função tão importante para todos mas também um caminho seguro de desenvolvimento espiritual para aquele que não se deixa vencer pelos desafios do condicionamento e da vaidade humanos.

Axé

M.J